Telefone / Whatsapp: (41) 9 9643-7333

Clínica de tratamento em Curitiba para crises emocionais, estresse, ansiedade, pânico, depressão e problemas afetivos e sexuais

Saúde Sexual LGBTQIA+

Apesar da saúde sexual de qualquer pessoa  estar na dependência direta da sua saúde mental, isso é ainda mais verdadeiro para a população LGBTQIA+.

Dentro da população geral, todas as minorias sofrem  algum tipo de preconceito, porém minorias sexuais e de gênero estão sujeitas à violência de origem externa e também muitas vezes em sua própria casa, com origem na própria família. 

Devido a desconhecimento, preconceito, tabu e também a aspectos culturais, que variam de acordo com a localidade ou país, a expressão sexual e de gênero de uma pessoa pertencente à população LGBTQIA + pode ser sinônimo de rejeição,  bullying, humilhação pública, violência verbal e física, prisão e até homicídio. E isso desde a infância, geralmente se agravando com o crescimento e desenvolvimento. 

Diante dessa realidade extremamente dura, não é incomum que essas pessoas reprimam, disfarcem ou sofram muito mental e emocionalmente quando expressam sua orientação ou identidade de gênero sexual. 

Portanto,  pessoas LGBTQIA+ estão sujeitas a apresentar distúrbios e disfunções sexuais comuns às pessoas cis/hetero, porém estão sujeitas a muitos outros problemas ligados a um espectro de variações de orientação sexual e gênero,  próprias de sua biologia e de  suas experiências de crescimento e desenvolvimento em ambientes frequentemente rejeitadores e hostis, que não aceitam a diversidade sexual.

Finalmente, pessoas com vivências sexuais e de gênero diversas necessitam de cuidados específicos com relação à sua saúde física, emocional e sexual. Um olhar atento, pormenorizado, humanizado e acolhedor trará mais conforto e confiança para quem já enfrenta uma série de outros desafios ao longo da vida. 

Além de oferecer serviços de saúde sexual para pessoas cis/hetero, Dr. Lincoln Andrade tem atendido há muitos anos pessoas LGBTQIA+ com queixas de disfunções sexuais, compulsão sexual, dependência de pornografia e transtornos parafílicos.

Ajudar e tratar pessoas com problemas da esfera da  sexualidade e da diversidade sexual exige do especialista em saúde mental e sexual estudo constante e muita experiência, além do necessário respeito para com as pessoas pertencentes às minorias sexuais. E é com essa consciência que Dr. Lincoln C. Andrade e sua equipe procuram atender seus pacientes LGBTQIA+.

Conheça abaixo os transtornos sexuais da população LGBTQIA+ tratados em nossa clínica:
 
1. Compulsão sexual

Trata-se de quadro clínico que faz parte de um grupo de transtornos psiquiátricos conhecidos como dependências comportamentais. Nele não há dependência de uma substância química, mas dependência de um comportamento sexual compulsivo, de difícil controle.

Pessoas que sofrem com compulsão sexual, também conhecida como dependência de sexo ou comportamento sexual fora de controle, têm pouco ou nenhum controle sobre seus impulsos sexuais. Geralmente são homens, na proporção de 8 homens para cada mulher. Pesquisas têm demonstrado alta taxa de compulsão sexual entre homens cis gays, de até 50%, e entre bissexuais de até 19%.  Entre mulheres as taxas de prevalência são pouco conhecidas, mas estima-se uma proporção de 1 mulher compulsiva sexual para cada 8 homens. Entre pessoas trans as taxas são desconhecidas.

Pessoas que sofrem de dependência de sexo costumam ter vida sexual dupla, com uma parte da vida sexual completamente oculta das suas parcerias, e vivem divididos entre o prazer, a culpa, a vergonha e o sentimento de descontrole.

Quando a vida sexual oculta da pessoa com compulsão sexual é descoberta pela parceria, ocorre grande sofrimento para ambos, e até o término da relação.

Trata-se de um transtorno sexual tratável, cujo tratamento envolve  uma rigorosa avaliação psiquiátrica, de preferência com um psiquiatra especialista em sexualidade humana. Esta avaliação rigorosa permite avaliar a gravidade da compulsão e outros quadros psiquiátricos que costumam contribuir para a persistência ou agravamento do transtorno.   

O tratamento depende do tempo de evolução do problema, nível de gravidade, comorbidades psiquiátricas e vários outros aspectos da vida do paciente. O uso de medicamentos e psicoterapia especializada são essenciais para o controle do comportamento sexual compulsivo. 

 
2. Dependência de pornografia e masturbação compulsiva

Tanto o uso problemático de pornografia quanto a masturbação excessiva constituem dependências comportamentais cada vez mais comuns e frequentes.  Trata-se de um quadro psiquiátrico e sexual muito mais comum em homens, mas com número crescente de mulheres acometidas. 

Assim como no caso da compulsão sexual, a frequência de acesso e a dependência de pornografia é mais maior  em homens cis gays jovens, mas as estatísticas são ainda inconsistentes. Sabe-se que entre mulheres cis lébicas as taxas são crescentes. Já entre  pessoas trans as taxas são desconhecidas.

Pesquisas têm demonstrado que crianças a partir de 8 anos tem acessado pornografia na internet, algo muito preocupante, com potencial de causar sérios prejuízos ao desenvolvimento psicossexual de crianças, adolescentes e jovens.

A dependência de pornografia causa severos prejuízos a pessoa que sofre deste transtorno, podendo prejudicar a libido, a ereção ou lubrificação vaginal, a capacidade de atingir o orgasmo e provocar muitos outros danos psicológicos, relacionais, conjugais, profissionais e financeiros.

O tratamento depende do tempo de evolução do problema, nível de gravidade, comorbidades psiquiátricas e vários outros aspectos da vida do paciente, e envolve medicamentos e psicoterapia especializada como abordagens essenciais para o controle desse transtorno.

3. Disfunção Erétil (DE) de origem psicológica (conhecida popularmente como ansiedade de desempenho sexual ou medo de falhar)

Uma das mais frequentes e angustiantes queixas sexuais masculinas, a disfunção erétil de origem psicológica geralmente afeta homens gays jovens, muitos deles com outros transtornos de ansiedade associados. Pode afetar também homens gays de meia idade ou mais velhos, que tiveram falhas eréteis repetidas e se sentem muito inseguros sexualmente.

Trata-se sempre de uma espécie de urgência sexual masculina, principalmente diante de sinais de insatisfação sexual do parceiro, com forte impacto sobre a qualidade de vida afetiva e sexual, e também  sobre a autoestima .

Infelizmente, por vergonha, medo de constrangimento, preconceito e até mesmo desinformação, muitos homens gays não procuram atendimento com médico especialista em sexualidade humana e experiência em saúde mental, terapia sexual e  tratamento de DE psicogênica.

A DE psicogênica tem como raízes principais a insegurança e a ansiedade, e costuma ser uma parte muito negligenciada do tratamento da disfunção erétil, visto que homens gays ou heterossexuais com DE buscam tratamento com os médicos urologistas e não costumam aceitar muito bem quando os urologistas identificam uma causa psicoemocional e encaminham ao psiquiatra. 

É fato conhecido que entre homens cis gays, principalmente jovens, o desempenho sexual é muito valorizado, e leva em conta fatores como aparência física, corpos “sarados”, tamanho do pênis e capacidade de manter a ereção por tempo prolongado. E essas altas exigências têm potencial de gerar muita insegurança erétil, principalmente entre homens cis gays que sofrem de ansiedade. 

Outro aspecto importante da DE psicogênica é que frequentemente está associada com transtornos psiquiátricos, principalmente transtornos de ansiedade e depressão, que sem tratamento adequado dificultam ou mesmo impedem a resolução do problema.

A avaliação diagnóstica e o tratamento psicofarmacológico e psicológico de transtornos de ansiedade, entre eles a  ansiedade de desempenho sexual, exigem que o profissional tenha experiência em psiquiatria e manejo psicofarmacológico, para a escolha de psicofármacos que tratem a ansiedade e não prejudiquem a libido ou a ejaculação e o orgasmo. Também é importante que o profissional tenha conhecimentos de terapia sexual.  

 
4. Disfunção Erétil (DE) mista (de causa orgânica e psicológica)

Uma vez identificada uma causa orgânica para a DE, quase sempre o homem cis gay está também psicologicamente afetado, razão de se chamar de DE mista.

Qualquer causa orgânica de DE  pode variar desde leve até muito grave, e necessita de avaliação criteriosa para a escolha do melhor tratamento.

O tratamento inicial  envolve quase sempre medicamentos, terapia sexual e também o uso de recursos progressivamente mais invasivos, de acordo com o nível de gravidade da causa orgânica.

É importante lembrar que mesmo nos tratamentos mais invasivos os aspectos psicológicos e emocionais da DE devem ser abordados com seriedade, sob risco de falha de tratamento. Um exemplo típico é a aversão do paciente ou do parceiro diante da necessidade de injeções penianas durante o encontro íntimo, ou a relação sexual do homem em uso de prótese peniana quando não está excitado, “por obrigação”, gerando insatisfação, dificuldade para atingir o orgasmo e frustração do paciente e do parceiro.

Nesses casos de DE de causa organica, que envolvem procedimentos realizados por urologistas andrologistas, a Clinica Dr. Lincoln Andrade oferece tratamento para os aspectos psicológicos, emocionais e psiquiátricos da disfunção erétil de homens cis gays. 

 

5. Ejaculação Precoce (Rápida)

Popularmente conhecida como ejaculação precoce (EP), a ejaculação rápida é uma da queixas sexuais mais comuns em homens, inclusive gays, e é a queixa mais comum em homens jovens, na primeira metade da vida, e também de seus parceiros.

Trata-se de uma disfunção sexual difícil de definir, pois a noção de tempo necessário de relação sexual até que se chegue ao orgasmo e ejaculação é muito variável. 

Devido a essa falta de critérios objetivos, costuma-se dizer que definir claramente a ejaculação precoce é difícil, mas reconhecer que o problema existe é fácil.

Para que exista mais clareza na definiçção, utilizam-se 3 critérios associados:

  • Tempo diminuído para se chegar à ejaculação
  • Incapacidade do homem em controlar as sensações que precedem a ejaculação
  • Sofrimento importante do homem e/ou de ambos os parceiros devido ao problema ejaculatório

As causas da EP podem ser orgânicas, comportamentais ou ambas, e aproximadamente 1/4 dos homens sofrem dessa disfunção. A causa orgânica é uma espécie de programação biológica do sistema nervoso para a ejaculação rápida. A causa emocional/comportamental é a ansiedade.

A boa notícia é que a ejaculação precoce tem métodos de tratamento bastante eficazes, tanto medicamentosos quanto em treinamento comportamental. Caso você sofra devido a ejaculação rápida não se angustie, procure um médico especialista em sexualidade humana e resolva seu problema.

 
5. Disfunção sexual causada por antidepressivos e outros psicofármacos

Trata-se de redução ou perda da libido, assim como dificuldade de excitação e ereção/lubrificação vaginal, além de demora excessiva para chegar ao orgasmo, quando se devem ao uso de medicamentos prescritos para o tratamento de transtornos psiquiátricos.

Quando a disfunção sexual é causada pelo uso de medicamentos, muitas vezes é possível buscar melhorar a função sexual pelo ajuste da dose, mudança dos medicamentos ou associação de um medicamento que melhora a resposta sexual.

Há, porém, casos em que não é possível nem recomendável a mudança dos medicamentos devido a gravidade da doença de base.

Seja qual for o caso, vale a pena revisar os medicamentos para avaliar se são possíveis causadores da disfunção e se é viável a substituição dos mesmos.

Dr. Lincoln Cesar Andrade é médico formado pela Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná, com Especialização em Sexualidade Humana pelo Projeto Sexualidade (PROSEX) da Faculdade de Medicina da USP e residência médica em Psiquiatria pelo Hospital das Clínicas da USP (HC/RP-USP). Tem quinze anos de experiência em tratamento, consultoria e aconselhamento para problemas sexuais e de relacionamento amoroso e 20 anos de experiência no atendimento de pessoas em crise emocional devido a problemas ligados a relacionamento amoroso ou à vida sexual.

Devido a sua larga experiência no tratamento de disfunções sexuais e transtornos psiquiátricos, Dr. Lincoln preenche uma importante lacuna da medicina, aquela na qual sexualidade humana, medicina sexual e saúde mental se encontram.

“Cuide bem da sua saúde sexual . Venha para a Clínica Dr. Lincoln Cesar Andrade”

ON LOVE é o serviço de atenção à saúde sexual e de relacionamentos da Clínica Dr. Lincoln Andrade.

Artigos sobre sexualidade