Estresse e ansiedade como causas de dores de cabeça, pescoço e costas

Um dos primeiros sintomas de estados de estresse (ou stress) e ansiedade é a tensão muscular, pois nosso cérebro interpreta situações estressantes como um perigo e prepara o corpo para o enfrentamento, tensionando músculos por todo corpo.

A princípio a tensão pode não ser percebida, mas ela existe, mesmo em situações de estresse menos intenso. Quando, porém, o estresse é elevado, sobrevém tensão muscular perceptível, o que tensiona também tendões e ossos e pressiona os órgãos internos, surgindo  então as dores.

Em estados persistentes ou intensos de estresse a dor tende a ser crônica e difusa, afetando a cabeça, pescoço, ombros, dorso e região lombar. Tensões intensas e persistentes podem causar lesão de discos da coluna vertebral, ruptura de tendões e lesões diversas. Um corpo tenso também ocasiona sono ruim, sem relaxamento muscular, e despertares com o corpo mais dolorido.

Outro tipo de dor agravada por estados de estresse é a fibromialgia, quadro clínico reumatológico com componente emocional importante e prejudicado por estados elevados e persistentes do cortisol, o principal hormônio do estresse.

Para evitar dores crônicas por estresse é preciso, além de cuidados gerais para manejo do estresse diário, realizar atividade diária de alongamento. Mas atenção: inicialmente procure orientação de profissional educador físico competente ou de fisioterapeuta, pois alongamento mal feito pode causar lesões e prejudicar mais ainda o sistema músculo-esquelético.

Finalmente, em caso de estresse de difícil controle procure atendimento especializado em saúde mental.

Texto de autoria do Dr. Lincoln C. Andrade.

Permitida a reprodução e publicação desde que citada a fonte (autor e site)

Dr. Lincoln C. Andrade é medico psiquiatra especializado no atendimento de pessoas em crise emocional, estresse elevado, medo e pânico. Trabalha há quase 20 anos no atendimento de pacientes em crise emocional. Agendamento de consulta pelos fones (41) 30391890 e 996437333. 

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário