fbpx

Cuidados psiquiátricos na gestação e no puerpério da mulher com transtorno bipolar

O manejo psiquiátrico da gestante bipolar é algo bastante delicado e exige conhecimento, experiência, bom senso, discernimento e empatia do psiquiatra, representando as vezes um verdadeiro desafio terapêutico.

O transtorno bipolar afeta homens e mulheres ainda em idade jovem. E a mulher bipolar pode tanto descobrir a bipolaridade durante a gestação como já estar em tratamento e apresentar recaída durante o período gestacional. Pode inclusive necessitar de mudança ou interrupção dos medicamentos devido ao risco gestacional que certos medicamentos representam.

É  importante lembrar que é elevada a porcentagem de gestações que ocorrem sem planejamento prévio em nosso país.

Sintomas que sugerem depressão na gestação são a perda de prazer nas atividades, sentimento de desesperança, sentimento de culpa e a sempre temida ideação suicida. Pesquisas mostram que sintomas depressivos na gestação indicam risco bastante aumentado de depressão no período puerperal.

No puerpério (período pós-parto) há risco aumentado de ocorrência de episódio maníaco ou depressivo, e mesmo de psicose puerperal, o que se deve, provavelmente, ao estresse físico e psicológico do parto, seguido de privação do sono, cansaço e mudanças dramáticas nos níveis dos hormônios do estresse e dos hormônios reprodutivos.

A mulher bipolar que decide engravidar se encontra diante de um grande dilema: interromper os medicamentos e assumir o risco de sofre recaída durante a gestação e principalmente durante o puerpério, ou manter os medicamentos e correr o risco de mal formação do feto. Amamentar sob uso de medicamentos ou evitar amamentar é mais um dilema. Esses dilemas não apresentam soluções fáceis e devem ser detalhadamente discutidos com um médico psiquiatra experiente.

Além da experiência com gestantes bipolares, o médico psiquiatra deve idealmente ser sensível às angústias e atencioso com a gestante, além de aberto ao contato com o obstetra da mesma.

Abaixo são listados alguns importantes fatores a serem considerados na condução da gestação da mulher com transtorno bipolar:

  1. O histórico psiquiátrico prévio detalhado da gestante bipolar
  2. O risco dos medicamentos para a criança em desenvolvimento intra-uterino
  3. O risco da doença sem tratamento durante a gestação
  4. O risco da interrupção súbita da medicação quando da descoberta da gravidez
  5. O estresse da mãe e também do psiquiatra quanto ao risco farmacológico dos medicamentos durante a gestação.
  6. A necessidade do "pré-natal" psiquiátrico, com orientações e esclarecimentos antes da mulher engravidar e acompanhamento rigoroso durante a gestação e o puerpério
  7. A disponibilidade do psiquiatra para tranquilizar e atender as demandas da gestante
  8. O suporte familiar à disposição da gestante
  9. O nível geral de estresse da vida da mulher por ocasião da decisão pela gravidez
  10. A estabilidade conjugal

A mulher bipolar que pretende engravidar idealmente deveria seguir as seguintes diretrizes:

  1. Planejar a gestação
  2. Conversar com seu psiquiatra sobre a estabilidade de seu humor por ocasião da tentativa de engravidar e sobre seu histórico de doença bipolar
  3.  Buscar esclarecimento com seu psiquiatra a respeito de todos os aspectos do tratamento durante a gestação e o puerpério, assim como o risco envolvido tanto na manutenção como na retirada dos medicamentos de medicamentos
  4. Receber orientação sobre cuidados não medicamentosos para manter o humor o mais estável possível durante a gestação

Com os cuidados acima a mulher bipolar terá a segurança necessária para uma boa evolução da gestação e do puerpério.

Texto de autoria do Dr. Lincoln C. Andrade. Permitida a reprodução e divulgação desde que citada a fonte (autor e site).

Dr. Lincoln C. Andrade é médico psiquiatra, com residência médica pelo hospital das clínicas da USP (HC/RP), especializado no atendimento de pessoas em crise emocional, estresse, transtornos de ansiedade e pânico. Tem vinte anos de experiência no atendimento de pessoas em crise emocional de qualquer origem. Criou e mantém em sua clínica o programa CALMA, especializado no tratamento de ansiedade e pânico. Oferece em sua clínica o programa de tratamento do transtorno bipolar. Agendamento de consultas pelos fones (41) 30391890 e 996437333. 

"Clínica Dr. Lincoln Andrade, a clínica de referência no tratamento do estresse elevado,  ansiedade, pânico e crises nervosas em Curitiba".

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário