fbpx

O contágio psicológico do coronavirus: entenda como isso acontece e evite mais sofrimento.

Do ponto de vista emocional, o risco de contágio físico do novo coronavirus, assim como ocorre com outras doenças em epidemias e pandemias, traz consigo um paralelo com aquilo que aqui chamarei de "contágio psicológico".

A pneumonia causada  pelo coronavírus tem um ciclo de transmissão que começa com o agente causal ou patógeno (o virus), se propaga por um vetor de transmissão (o próprio ser humano infectado), utiliza um meio de trasmissão (tosse, espirro, gotículas que se espalham, contato com superfícies e pessoas contaminadas), tem um tempo de incubação (5 a 14 dias) e então eclode como doença (pneumonia ou quadro clínico brando de vias aéreas).

No caso do "contágio psicológico" a transmissão ocorre quase que exatamente do mesmo modo, como segue:

1. Inicia-se com o patógeno, que neste caso são as informações em grande volume, desencontradas, contraditórias e dramáticas.

2. Propaga-se por intermédio de um vetor de transmissão, que são as mensagens de texto, vídeos e imagens diversas, além das conversas entre as pessoas já assustadas

3. Utiliza-se de um meio de transmissão, neste caso as redes sociais e as mensagens de whatsapp, assim com  noticiários de TV e rádio, muitos deles dramáticos e sensacionalistas. As conversas entre pessoas preocupadas continuam agindo como vetor e também meio de propagação.

4. Existe um tempo de incubação, que é o tempo necessário para a ansiedade crescer, afetando a todos, principalmente os mais ansiosos, os depressivos e aqueles em sofrimento mental e emocional.

5. Finalmente eclode a doença psicológica entre os mais suscetíveis, como ocorre com o coronavirus. Então sobrevêm o pânico, o desespero a corrida aos supermercados e farmácias, a estocagem de medicamentos e alimentos e mesmo saques das lojas e redes de abastecimento.

Muitas pessoas desenvolvem o que vou aqui chamar de "efeito zumbi". Se isolam do mundo devido ao medo daquilo que se observa nos filmes de ficção sobre zumbis, nos quais as pessoas são contaminadas por bandos de pessoas pavorosamente doentes e desfiguradas. Medos primitivos são então ativados.

Muitas outras pessoas se apoiam em crenças religiosas sobre castigos divinos enviados até nós devido a maldade do ser humano, para a expiação dos pecados, o que causa um medo ainda maior, visto que o castigo viria diretamente do criador.

Entre os mais suscetíveis ao contágio psicológico  encontram-se as pessoas com transtorno de ansiedade generalizada (TAG), Transtorno de pânico (TP), Transtorno de ansiedade de doença (TAS), Transtorno obsessivo-compulsivo com obsessões de contaminação e contágio, pessoas depressivas e pessoas com outros transtornos mentais. Muitas pessoas passam a desenvolver transtornos mentais devido ao medo intenso.

Portanto, a ansiedade e o medo também podem ser transmitidos. E é muito importante entender o ciclo do contágio psicológico, pois um organismo muito estressado é um organismo em risco de redução da imunidade, o que torna a pessoa mais sensível à infecções.

Para evitar o contágio psicológico o mais importante é você ter consciência de como ele ocorre, para poder percebê-lo e evitá-lo.

Espero realmente que este artigo possa ser útil a todos aqueles que estão vivendo esse período tão difícil da pandemia do novo coronavirus.

Para mais informações sobre como reduzir a ansiedade neste período de pandemia leia meu artigo intitulado "Como lidar com o medo e evitar o pânico devido ao surto do novo coronavirus". Leia neste site www.lincolnandrade.com.br ou procure na web.

Texto de autoria do Dr. Lincoln C. Andrade. Permitida a livre divulgação e reprodução. Pedimos o favor de citar a fonte (autor e site).

Dr. Lincoln C. Andrade é médico psiquiatra, com residência médica pelo hospital das clínicas da USP, especializado no atendimento de pessoas em crise emocional, estresse, transtornos de ansiedade e pânico. Tem vinte anos de experiência no atendimento de pessoas em crise emocional de qualquer origem. Criou e mantém em sua clínica o programa CALMA, especializado no tratamento de ansiedade e pânico. Agendamento de consultas pelos fones (41) 30391890 e 996437333.

"Clínica Dr. Lincoln Andrade, a clínica de referência no tratamento do estresse elevado,  ansiedade, pânico e crises nervosas em Curitiba".

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário