Estresse excessivo, irritabilidade e perda de controle na cidade grande

Costumo dizer aos meus pacientes que se o estresse fosse uma operação matemática, seria uma operação de soma, ou seja, os efeitos de cada um dos fatores capazes de gerar estresse em determinada pessoa se somam e produzem efeito cumulativo. Considerando que cada um de nós tem uma capacidade própria para lidar com estresse e adversidade, capacidade essa chamada de resiliência, o impacto do estresse sobre cada pessoa será diferente mesmo que as circunstâncias sejam as mesmas.

Os fatores estressores em nossa vida são muitos e bastante diversos, principalmente nas grandes cidades, onde o estresse urbano tem um papel importante no desgaste a que todos nós estamos submetidos diariamente. O estresse urbano funciona como um "pano de fundo", uma espécie de ruído contínuo, que está sempre presente em algum grau e se soma aos demais fatores.

Para que isso fique mais claro, listo abaixo alguns fatores estressores comuns, que estão presentes em diferentes graus na vida de cada pessoa:

  1. Ônibus lotados e atrasados
  2. Trânsito engarrafado
  3. Calor excessivo devido asfalto e falta de vegetação
  4. Ar seco e poeira
  5. Pessoas mal humoradas
  6. Calçadas repletas de fezes de cachorros
  7. Mais pessoas mal humoradas
  8. Pessoas sem educação
  9. Falta de vagas de estacionamento nas ruas
  10. Flanelinhas
  11. Estacionamentos  caros
  12. Balconistas cínicos ou mal educados (também estressados)
  13. Vizinhos que nunca dizem bom dia no elevador
  14. Risco constante de assalto e violência
  15. Ruas mal iluminadas
  16. Falta de policiamento
  17. Ruas esburacadas
  18. Motoristas que não respeitam o ciclista e o pedestre
  19. Ciclistas que não respeitam o pedestre nem a legislação de segurança para ciclistas
  20. Buzinas de automóveis
  21. Guardas de trânsito preocupados em multar e não em organizar o trânsito
  22. Estressados do trânsito que xingam, fazem gestos obscenos e até agridem outros motoristas
  23. Multas de trânsito cobrando infração que você sabe que não cometeu mas da qual não tem como se defender, do tipo pague e pronto
  24. Alarmes que disparam no meio da noite
  25. Funcionários públicos (felizmente a minoria) sem comprometimento com seu trabalho, que se acham no direito de não cumprir suas obrigações com o contribuinte
  26. Motoboys "costurando" no trânsito
  27. Pedintes em todo lugar
  28. Fila para tudo, da padaria aos bancos
  29. Motocicletas barulhentas com escapamento "aberto"
  30. Ruído de todo tipo
  31. Vizinhos desrespeitosos
  32. Vizinhos que não respeitam a lei do silêncio
  33. outros, outros e ainda outros...

Preste atenção ao fato de que nesta lista não constam problemas conjugais, profissionais, financeiros, familiares ou de saúde. consta apenas o estresse urbano. Agora junte tudo em um típico dia útil e ficará fácil perceber o porquê de ao chegar em casa você muitas vezes se sentir:

  1. Muito cansado
  2. Com humor irritado
  3. Impaciente
  4. Inquieto
  5. A ponto de explodir
  6. Sem vontade para nada que não seja uma poltrona e televisão
  7. Sem libido
  8. Com sensação de que há algo errado com sua vida
  9. Vontade de chorar sem saber bem o motivo
  10. Pronto para implicar com esposa/marido e filhos
  11. Com a sensação de que vai perder o controle a qualquer momento, irado
  12. Muitas vezes com vontade de quebrar tudo a sua volta
  13. As vezes com vontade de sumir, desaparecer, sair por aí sem rumo

Para conseguir sobreviver na cidade grande é preciso ter um manual de sobrevivência e muita disposição para repensar seu estilo de vida e o que pode ser melhorado. Caso necessite de auxílio para acessar esse "manual de sobrevivência ao estresse" entre em contato conosco e venha aprender a arte da sobrevivência na "selva de pedra".

Texto de autoria do Dr. Lincoln Cesar Andrade

Permitida a reprodução e divulgação desde que citada a fonte (autor e site)

Dr. Lincoln Cesar Andrade é médico psiquiatra especializado no tratamento de pessoas passando por crises emocionais, estresse elevado, transtornos de ansiedade e pânico em Curitiba. Agendamento de consultas pelos fones (41) 30391890 e (41) 996437333.

 

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário