fbpx

Entenda alguns sintomas pouco conhecidos mas muito importantes do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)

O transtorno obsessivo-compulsivo se caracteriza de modo simples como um conjunto de sintomas composto por pensamentos ou imagens mentais persistentes, intrusivas e muito incômodas, associados a comportamentos compulsivos, irracionais, mas de difícil controle, que surgem como uma necessidade de anular o desconforto dos pensamentos obsessivos.

Muitos sintomas de TOC são bastante conhecidos, entre eles rituais de lavagem das mãos, checagem sobre fechamento de portas e janelas, preocupações com simetria, sujeira ou contaminação.

Acontece que há sintomas que fazem parte do TOC de muitas pessoas, mas que são pouco conhecidos e incompreendidos, cujo entendimento e percepção ajudam muito no tratamento. Entre eles vamos tratar neste artigo dos chamados "fenômenos sensoriais". Esses sintomas são percebidos como sensações ou percepções físicas ou mentais que causam desconforto, são incômodas, e podem aparecer antes ou vir acompanhadas das compulsões. São muito frequentes em pessoas com TOC cujos sintomas surgiram cedo na vida ou em pessoas com TOC associado a tiques.

Os fenômenos sensoriais podem inclusive ser mais desconfortáveis do que as compulsões e os tiques. Segue abaixo uma descrição breve dos fenômenos sensoriais:

A) Sensações físicas: Desconforto tátil na pele, músculos ou ossos, ou nos órgãos internos, cujas compulsões (comportamentos repetitivos) produzem alívio.

B) "Just right", uma necessidade de "estar em ordem" ligada a estímulos sensoriais táteis, auditivos e visuais:

b1) Visuais: necessidade de que coisas, objetos estejam visualmente em ordem.

b2) Táteis: necessidade de ficar tocando em pessoas ou objetos em busca de uma sensação tátil de estar em ordem nas mãos ou outras partes do corpo.

b3) Auditivas: necessidade de que estímulos auditivos, sons, objetos soem de um modo ordenado ou de determinada maneira.

C) Necessidade de sentir-se "em ordem", também chamada de sensação de incompletude (not just right). Trata-se de uma sensação interna de não estar "em ordem", um desconforto que gera ou acompanha a necessidade de realizar determinado comportamento até se sentir "em ordem", obtendo a sensação de estar bem.

D) Sensação de energia interna: sensação de energia ou tensão, de modo generalizado, que vai aumentando e precisa ser descarregada pela realização de comportamentos repetitivos.

E) Sensação de "ter que fazer", que leva a comportamentos não precedidos por nenhuma obsessão nem por qualquer tipo de fenômeno sensorial ou percepção.

Para concluir repito aqui o que sempre tenho escrito em meus artigos: TOC é um quadro grave, gera muito sofrimento e nada tem de engraçado, como certos filmes tentam fazer parecer. A pessoa com TOC não deve ser vítima de brincadeiras. Devem sim receber apoio e incentivo para tratamento, pois se trata de uma patologia frequentemente negada, oculta, pois devido aos sintomas estranhos as pessoas acometidas temem serem rotuladas como "loucos".

Texto de autoria do Dr. Lincoln Andrade.

Permitida e reprodução e divulgação desde que citada a fonte (autor e site)

Dr. Lincoln C. Andrade é médico psiquiatra, com residência médica pelo HC/USP, especializado no atendimento de pessoas em crise emocional, estresse, transtornos de ansiedade e pânico. Tem vinte anos de experiência no atendimento de pessoas em crise emocional de qualquer origem. Criou e mantém em sua clínica o programa CALMA, especializado no tratamento de ansiedade e pânico. Agendamento de consultas pelos fones (41) 30391890 e 996437333.

"Clínica Dr. Lincoln Andrade, a clínica de referência no tratamento do estresse elevado,  ansiedade, pânico e crises nervosas em Curitiba".

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário