O sofrimento pelo término inesperado do relacionamento amoroso e seu tratamento em Curitiba

Neste artigo vou abordar uma situação que atendo frequentemente no On Love, nosso programa especializado no atendimento de pacientes com problemas amorosos e sexuais, que é o sofrimento emocional por término repentino ou inesperado de relacionamento amoroso.

O problema

O término inesperado do relacionamento amoroso (seja um namoro, noivado ou casamento) gera um número expressivo de sintomas físicos e emocionais, e leva a pessoa que foi deixada, e mesmo a que terminou o relacionamento, a um sofrimento que pode ser intenso.

As causas do término repentino do relacionamento amoroso

O término repentino do relacionamento amoroso pode ocorrer por várias causas, que podem envolver todas as citadas abaixo e muitas outras:

  1. Apaixonamento e sentimento de arrebatamento por outra pessoa
  2. Relacionamento amoroso cronicamente insatisfatório, em que a parte mais insatisfeita já não suporta manter a relação amorosa
  3. Descoberta de infidelidade
  4. Aproximação da data de comprometimento maior com o parceiro, como noivado ou casamento, em que o parceiro que vem protelando a decisão de encerrar o relacionamento já não tem tempo para continuar protelando
  5. Percepção de grande incompatibilidade mesmo havendo forte sentimento amoroso
  6. Duvidas quanto a orientação sexual homossexual na vigência de um relacionamento heterossexual
  7. Imaturidade de um dos membros do casa
  8. Falta de preparo de um ou de ambos os membros do casal para relacionamentos de longo prazo

Os sintomas emocionais e físicos do término repentino de relacionamento amoroso

Quando o sentimento amoroso e o vínculo são fortes, a pessoa que foi deixada sofre um choque emocional, fica desconcertada, perplexa, e precisa lidar com emoções intensas e sentimentos pesados de rejeição, abandono, menosvalia, ansiedade e tristeza, não raramente evoluindo para um quadro de depressão. A pessoa sente como se repentinamente perdesse seu norte, seu chão, sua segurança e até seu sentido de vida. O projeto de casamento ou de família desaba e a pessoa por vezes entra em pânico.

Por outro lado, a pessoa que deixou o parceiro amoroso frequentemente precisa lidar com sentimentos de culpa, de ser o responsável pelo sofrimento do parceiro. Se tiver filhos precisará também ligar com o sentimento de culpa pelo sofrimento dos mesmos, e talvez com a revolta que venham a demonstrar.

O “tsunami” emocional e físico que costuma se seguir ao término inesperado ou súbito de relacionamento amoroso, uma vez passada a fase de choque, é composto por alguns ou mesmo pela maioria dos sintomas e atitudes listados a seguir: tristeza, desespero, raiva, choro freqüente, sentimento de indignação, anseios de vingança, culpa, comportamentos impulsivos, insônia, dor de cabeça, perda do apetite, mal estar, discussões e acusações, briga por patrimônio e guarda dos filhos, exposição pública da intimidade do casal, uso de filhos para agredir o parceiro e muitos outros possíveis sintomas.

 

O tratamento correto do fim repentino do relacionamento amoroso

Pode parecer estanha a idéia de que o término de relacionamento amoroso precise de tratamento, mas poucas situações causadoras de estresse na vida de uma pessoa têm o potencial de causar tanto sofrimento e, às vezes, até situações de risco de vida, como homicídio e suicídio.

O adequado tratamento das pessoas que sofrem pelo final repentino do relacionamento amoroso começa pelo respeito aos sentimentos de quem sofre a dor do amor, e pode envolver apoio psicológico e tratamento medicamentoso (tratamento psiquiátrico especializado em questões afetivas e sexuais) tanto para a pessoa que está sendo deixada quanto para o parceiro responsável pelo término do relacionamento. Não raramente, mesmo os   filhos do casal, quando o casal os têm, necessitam de atenção em saúde mental.

Medicamentos, apoio psicológico e aconselhamento especializado em crises emocionais, durante o período de emoções mais intensas, objetivam ajudar o paciente a enfrentar a situação emocional aguda, proteger a saúde emocional dos filhos e também preservar o patrimônio do casal.

Estados emocionais intensamente carregados são maus conselheiros, levando as pessoas a tomarem decisões das quais podem se arrepender muito no futuro. Um exemplo clássico é o divórcio litigioso, em que ambos os membros do casal desfeito perdem muito dinheiro, e quem ganha são os advogados encarregados do litígio. O patrimônio perdido pode fazer muita falta para a reconstrução individual da vida financeira.

O tratamento permite também auxiliar a pessoa afetada emocionalmente a reorganizar sua nova vida, após a separação, o mais rapidamente possível.

Um aspecto importante, que não pode ser esquecido, é o término repentino de relacionamento amoroso de adolescentes e adultos muito jovens, principalmente quanto ao impacto sobre meninas adolescentes. Essa situação envolvendo adolescentes é considerada em psiquiatria uma situação de alto risco e de certa imprevisibilidade quanto à ideação e comportamento suicida. Portanto, convém não subestimar o risco envolvido em tal situação.

Em nossa clínica o programa On Love foi criado para fornecer às pessoas passando por término de relacionamento amoroso, e para seus familiares, todo apoio em saúde mental necessário à superação deste difícil momento de vida.

Texto escrito pelo Dr. Lincoln César Andrade, CRM 19107 (PR).

Permitida a reprodução e divulgação desde que citados autor e fonte.

Dr. Lincoln é médico psiquiatra e sexólogo especializado em crises afetivo-sexuais.  Atende pacientes em  crise amorosa há mais de 15 anos. Para agendamento de consultas ligue (41)30391890 0u (41) 996437333.

*Dr. Lincoln oferece um seminário sobre os fundamentos que conduzem ao sucesso nos relacionamentos amorosos e na vida sexual. Clique em Cursos e Palestras sobre Amor e Sexualidade neste site.

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário