Estresse, ansiedade e dificuldades sexuais

Pessoas sujeitas a estresse excessivo ou prolongado e pessoas muito ansiosas frequentemente sofrem prejuízo da qualidade de vida sexual, em muitos casos acentuadamente.

Arnaldo Jabor, escritor, comentarista de TV e diretor de cinema, em seu belo livro "Amor é prosa, sexo é poesia", diz que está cansado da cultura americana, sempre tão preocupada com a produção e o desempenho. Pois bem, sexo bom é uma forma de diversão, de brincar, e preocupações com desempenho no trabalho ou na cama não fazem parte do verdadeiro prazer. Em se tratando de sexo, o desempenho se constrói com a disposição de se divertir e de usar os 5 sentidos.

Uma vida sexual de qualidade se dá com relaxamento e com o uso amplo dos nossos sentidos, a chamada sensorialidade, associada à ausência de pressa. O bom sexo, assim como um bom vinho, deve ser degustado, não tem qualquer relação com pressa. Pressa é o oposto de sexualidade, pois na cama a lei é a da "não produção",  no melhor sentido do termo.

Por outro lado, pensar demais costuma ser um antagonista do relaxamento e da liberação dos sentidos, tão necessários ao prazer sexual. No encontro sexual o pensamento só é útil para reforçar o erotismo e a fantasia sexual. No mais somente atrapalha o sexo. O pensamento não erótico causa distração e inibe a ação dos sentidos, inibindo assim a excitação.

Pessoas estressadas e ansiosas estão sempre preocupadas, pensam nas obrigações quando deveriam estar relaxando, sofrem com abuso de álcool, cafeína e alimentação ruim, têm excesso de adrenalina e cortisol circulando em seus organismos, e tudo isso prejudica a resposta sexual de seus corpos.

O estresse também desestabiliza os relacionamentos afetivos, pois cansaço, irritabilidade e inquietação mental facilmente conduzem à impaciência e discussões entre os membros do casal. Queixas como falta de desejo sexual em homens e mulheres e de disfunção erétil e ejaculação precoce (rápida) em homens são quase epidêmicas.

Portanto, grande parte dos casos de disfunção sexual masculinos e femininos tem relação direta com os efeitos  do estresse e da ansiedade, e somente uma pequena parte está relacionada com problemas orgânicos de fato, ao contrário do que divulgam na mídia muitas clínicas de sexologia, que recorrem ao terrorismo midiático para atingir seus objetivos comerciais.  Por outro lado, a indústria farmacêutica realiza uma verdadeira "corrida do ouro" para desenvolver medicamentos para melhorar a vida sexual.

Procure então prestar atenção no grau em que o estresse pode estar afetando sua vida afetiva e sexual. Ao perceber que isso está acontecendo procure agir para evitar que ele venha a corroer seu relacionamento amoroso.

Em nossa clínica atendemos diariamente pessoas estressadas e ansiosas, com repercussão negativa em suas vidas devido ao sofrimento emocional e sexual, que estão em busca de uma melhor qualidade de vida em todos os sentidos, inclusive da vida sexual.

Texto de autoria do Dr. Lincoln Cesar Andrade*

Permitida a reprodução e divulgação desde que citada a fonte (autor e site)

*Dr. Lincoln C. Andrade é médico especializado no tratamento de pessoas em crise emocional, estresse elevado, medo e pânico. É também especialista em sexualidade humana pelo projeto Sexualidade (PROSEX) do hospital das clínicas da Universidade de São Paulo (USP). Agendamento de consultas pelos fones (41) 30391890 e 996437333.

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário