fbpx

Você já sofreu uma crise de ansiedade?

Coração acelerado, sensação de falta de ar, tremores, suor, medo, desespero e até sensação de morte iminente são alguns sintomas comuns em pessoas que estão passando por uma crise nervosa.

Situações de vida como sobrecarga de trabalho, sérios problemas de relacionamento com chefia ou colegas de trabalho, divórcio, descoberta de infidelidade, diagnóstico de doença grave e preocupações constantes são alguns dos diversos fatores geradores de estresse que têm levado grande número de pessoas a sofrer de ansiedade grave, crises emocionais e até mesmo crises de pânico, conforme explica Dr. Lincoln Cesar Andrade, médico especializado no atendimento de pessoas passando por crises emocionais, com 20 anos de experiência nesta área da medicina.

Andréia*, administradora de empresas que gerencia uma grande equipe em Curitiba, estava vivendo um desastre em seu relacionamento. Foram 13 anos de um casamento que estava se tornando cada vez mais complicado. “Carreira, filhos, casa e esposa, papéis de vida nos quais eu não era considerada competente em nenhum deles pelo meu marido, uma pessoa extremamente crítica. E o pior, me despersonalizei, acabei não sabendo mais quem eu era. Não sabia mais o que fazer, cheguei ao desespero profundo e perdi 12 kg. Não tinha mais vontade de nada, estava infeliz, angustiada, tinha vontade de sumir, desaparecer”, diz Andréia*.

Dr. Lincoln Andrade nos conta que atender pessoas em situações como a que Andréia* viveu são comuns em seu trabalho diário, pois nós, seres humanos, tendemos a ir nos adaptando ao sofrimento até um ponto em que somos surpreendidos por nossas emoções e reações emocionais. Dr. Lincoln inicialmente tratou as crises de ansiedade e a depressão de Andréia*. Como não era mais possível salvar o casamento, o médico ajudou a paciente a manter o equilíbrio durante o difícil processo de divórcio, o que permitiu preservar os 2 filhos, que eram pequenos na época, de um impacto emocional além do necessário, evitar perda patrimonial com litígio e manter um convívio amigável com ex-marido. O processo todo foi longo e difícil para Andréia*, que hoje redescobriu a felicidade, tem um excelente convívio com os filhos e está em um novo relacionamento.

“Um processo de mudança como acima descrito exige que a pessoa vá ao limite de sua capacidade de enfrentamento da adversidade, e as vezes essa capacidade é superada. Nesse momento surge a crise emocional grave e a pessoa percebe que necessita de ajuda profissional”, assim explica o especialista.

Roberto* é executivo de uma grande empresa multinacional, e estava passando por severo nível de estresse devido à dificuldade de relacionamento com seu superior hierárquico, gerente da empresa para a América Latina. O gerente questionava desde sua fluência em inglês até sua competência para gerenciar projetos em 3 países diferentes. “Só percebi a gravidade da situação em que me encontrava quando passei a ter crises de ansiedade ao chegar ao local de trabalho” conta Roberto*, que decidiu procurar auxílio por sugestão de um colega.

Ambientes profissionais muito competitivos são terrenos férteis para níveis tóxicos de estresse e sofrimento mental, segundo informa Dr. Lincoln. “Na carreira executiva vejo muito sofrimento, pois a busca contínua por resultados leva os profissionais ao limite físico e emocional”.

No caso do atendimento da crise emocional e de pânico de Roberto*, elas foram inicialmente controladas com auxílio de medicamentos e o executivo também realizou várias sessões de aconselhamento. Como resultado, Roberto* voltou a equilibrar suas emoções, passou a adotar um estilo de vida mais saudável e aprendeu a valorizar outras realizações pessoais, além das que envolviam seu trabalho.

Dr. Lincoln enfatiza que no atendimento à crise emocional é fundamental controlar rapidamente os sintomas mais graves e acalmar o paciente, pois somente assim será possível ajudá-lo no enfrentamento das situações de vida que desencadearam a crise e nas mudanças de vida que precisará implementar. Para isso é fundamental o uso de medicamentos, pois somente eles permitem o controle rápido dos sintomas emocionais agudos.

Muitos pacientes que chegam pela primeira vez à clínica já apresentam transtornos de ansiedade, que naquele momento estão sendo agravados pelo estresse elevado e pela crise nervosa. Dentre esses transtornos de ansiedade encontram-se o transtorno de pânico, transtorno obsessivo-compulsivo ou fobia social. Já outros pacientes chegam para a primeira consulta devido uma crise emocional ou de ansiedade que estão sofrendo pela primeira vez na vida. Todos são acolhidos, acalmados, tratados e auxiliados no processo de retorno ao equilíbrio emocional.

“Escolhi trabalhar nesta difícil área da medicina por achar muito recompensador estar ao lado das pessoas em seus momentos mais difíceis e ajuda-las a retomar o controle de suas vidas”, conclui Dr. Lincoln Andrade!

* Nomes e outros dados foram modificados para proteger a privacidade dos pacientes

Dr. Lincoln Cesar Andrade é médico psiquiatra especializado no atendimentos de pessoas que estão sob altos níveis de estresse, ansiedade elevada, pânico ou sofrendo crises emocionais de qualquer origem. Concluiu residência médica em psiquiatria no Hospital das Clínicas da USP e treinamento no atendimento à crise emocional na Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas da USP em Ribeirão Preto. Tem 20 anos de experiência no atendimento de pessoas em crise emocional. Criou e mantém em sua clínica o programa CALMA, elaborado para atender as necessidades específicas de seus pacientes em crise. Em sua prática profissional utiliza medicamentos, psicoterapia de apoio, aconselhamento, técnicas de relaxamento físico e mental, encontros em grupo sobre temas relevantes para a qualidade de vida e apoio e orientação à família do paciente.

Fonte: Revista Viva Mais Feliz
https://revistavivamaisfeliz.com/2019/04/08/voce-ja-sofreu-uma-crise-de-ansiedade/

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário