fbpx

Tratamento da ejaculação precoce em Curitiba

A ejaculação rápida, popularmente conhecida como ejaculação precoce (EP), é uma da queixas sexuais mais comuns em homens, e é a queixa mais comum em homens jovens, na primeira metade da vida, e também de suas parceiras.

Trata-se de uma disfunção sexual difícil de definir, pois a noção de tempo necessário de relação sexual até que se chegue ao orgasmo e ejaculação é muito variável. Dúvidas a respeito não faltam. O problema é do homem? Da necessidade maior de estimulação sexual da mulher? Quem decide isso? A origem é psicológica ou tem causa orgânica? Ocorre antes ou durante a penetração?

Devido a essa falta de critérios objetivos, costuma-se dizer que definir claramente a ejaculação precoce é difícil, mas reconhecer que o problema existe é fácil.

Para que exista mais clareza, utilizam-se 3 critérios associados:

  • Tempo diminuído para se chegar à ejaculação
  • Incapacidade de controlar as sensações que precedem a ejaculação
  • Sofrimento importante do homem e/ou do casal devido ao problema ejaculatório

A ejaculação precoce (EP) é denominada de primária ou permanente quando ocorre desde o início da vida sexual. Já a forma secundária, também chamada de adquirida, é bem mais comum em homens mais velhos, e costuma vir acompanhada de diminuição da libido, menor excitação e disfunção erétil. A ejaculação precoce primária não tratada tende a persistir por toda a vida em uma grande número de homens.

A ejaculação rápida tem na ansiedade um componente muito importante, mais propriamente a ansiedade de desempenho sexual, que tende a manter o distúrbio ao longo do tempo. Quanto mais próximo do ato sexual, maior o medo do constrangimento e da humilhação, o que faz com que o homem se desligue da cena erótica e a relação sexual se torne bastante prejudicada.

Devido à ejaculação rápida os homens acabam perdendo a autoconfiança sexual. Muitos homens solteiros se abstém de estabelecer novos relacionamentos e evitam a atividade sexual. Homens em relacionamentos se angustiam em não satisfazer suas parceiras e temem que elas venham a se tornar infiéis.

É importante observar que a vergonha de falar sobre a EP é a razão declarada por mais de 60% dos homens para não procurarem auxílio médico e tratamento. E justamente por não enfrentarem essa inibição é que os homens acabam perpetuando um problema que tem tratamento. Um dado curioso é que metade dos homens pesquisados dizem que não sabem que existe tratamento!

A EP, assim como outras disfunções sexuais, frequentemente leva à perda da conexão do casal. As mulheres se queixam de que não são ouvidas em suas necessidades de intimidade e afeto, ou que o homem não está tentando resolver o problema. Por sua vez, os homens acreditam que suas parceiras se tornaram insensíveis ao sofrimento rotineiro que o sentimento de humilhação e vergonha ocasiona. A tensão dentro da intimidade do casal costuma ser alta.

O tratamento pode envolver diferentes recursos, dependendo de cada paciente e de cada contexto. Pode ser individual ou envolver o casal, e pode combinar o uso de medicamentos, terapia sexual e apoio psicológico. O tratamento combinado quase sempre é a melhor opção.

Resta dizer que com muita frequência os homens buscam soluções imediatas, pois se frustram ao saber que o resultado do tratamento não vem imediatamente, que pode demorar alguns meses. Assim, muitos procuram soluções mágicas oferecidas  na internet, soluções essas cujo objetivo frequentemente é vender produtos e tratamentos caros, sem resultado apoiado em pesquisas médicas. Desse modo, acabam por reforçar sua frustração sexual e manter a crença de que seu problema sexual não têm solução.

Caso sofra de ejaculação precoce, não se deixe paralisar pela vergonha, pois ela apenas perpetua seu problema. Enfrente essa inibição e procure tratamento. Saiba que o tratamento costuma ser bastante eficaz.

O melhor tratamento começa sempre por um grande respeito pelo paciente e seu sofrimento!

Texto de autoria do Dr. Lincoln Cesar Andrade

Permitida a reprodução e divulgação, desde que citada a fonte (autor e site)

Dr. Lincoln Andrade é Especialista em Sexualidade Humana pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, com quase 15  anos de experiência atendendo pessoas e casais com problemas afetivos e sexuais. É também médico psiquiatra, com residência médica pelo hospital das clínicas da USP (HC/RP),  especializado no tratamento de pessoas em crise emocional, estresse, ansiedade e pânico.  Agendamento de consultas pelos fones (41) 30391890 e 996437333.

"Clínica Dr. Lincoln Andrade, a clínica de referência no tratamento do estresse elevado,  ansiedade, pânico e crises nervosas em Curitiba".

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário