fbpx

O tremendo impacto emocional do diagnóstico de câncer

Ao fazer exames de rotina ninguém está preparado para a suspeita de câncer. Exames como Papanicolau, mamografia,  ecografia de mamas ou próstata, dentre outros, causam certa apreensão, mas ninguém espera como resultado a suspeita de malignidade.

Quando um exame apresenta como resultado a suspeita de malignidade, imediatamente surge o aumento do nível de estresse e da ansiedade. Novos exames são solicitados e a pessoa passa a pensar no resultado obsessivamente, começa a ter maior dificuldade para dormir e mesmo para se alimentar.

Caso o resultado seja negativo surge um grande alívio e uma imediata valorização da vida, que infelizmente costuma durar pouco tempo, pois a pessoa costuma temer que o resultado do exame não esteja correto. Caso o resultado confirme tratar-se de câncer, o nível de estresse eleva-se rapidamente e angústia intensa invade a vida emocional da pessoa afetada. Tristeza, choro e desespero tornam-se as vezes incontroláveis. Muitas pessoas sofrem crises de pânico, principalmente quando já sofrem de transtorno de pânico.

Nesta fase a vida parece interromper seu curso. Pensamentos sobre quimioterapia, radioterapia, medo de mutilação e mudança corporal, assim como a expectativa de futuro incerto, sofrimento e morte sequestram a atenção da pessoa. Filhos, família, sonhos, projetos de vida, tudo isso vem à tona. Fisicamente surge perda de apetite, insônia, dores tensionais, distúrbios gastrintestinais, dor de cabeça, taquicardia, falta de ar e muitos outros sintomas de ativação aguda do sistema nervoso. As vezes desespero e ideação suicida surgem com muita força.

Justamente neste momento tão difícil da vida que a pessoa com diagnóstico de câncer necessita de imediato suporte emocional, familiar e de amigos. Caso a situação seja de sofrimento por demais intensa, vencendo a condição de enfrentamento do paciente e da família, ajuda profissional faz-se necessária sem demora, pois o estresse elevado desorganiza toda a fisiologia da pessoa, causa ansiedade e depressão, e esse estado emocional tem impacto acentuado sobre o sistema imunológico.

Uma vez que o tratamento do câncer tem diferentes fases, é muito importante o tratamento contínuo em saúde mental, pois cada fase do tratamento desperta sentimentos e reações emocionais diferentes. Quando a pessoa com câncer é acompanhada em todas as fases, seus recursos de enfrentamento se fortalecem.

Quando ocorre recidiva do câncer muitos pacientes pensam em desistir do tratamento, e neste caso o tratamento em saúde mental deve ser intensificado.

O equilíbrio emocional é um dos maiores aliados da pessoa com câncer no combate à doença, e para isso há muitos recursos ao seu alcance, recursos esses que variam de apoio social e familiar à medicamentos para ansiedade e depressão, passando por atenção psicológica , relaxamento,  grupo de apoio e atenção espiritual. No caso de necessidade de auxílio profissional em saúde mental, o melhor é que a equipe de tratamento seja experiente no trabalho com pessoas com câncer.

Portanto, não custa nada repetir: o estado emocional equilibrado é fundamental para o tratamento eficaz da doença, para a qualidade de vida da pessoa com câncer e para o bem estar dos familiares , e não deve nunca ser subestimado.

Texto escrito pelo Dr. Lincoln C. Andrade

Permitida a reprodução e divulgação desde que citada a fonte (autor e site)

* A clínica Dr. Lincoln Andrade é especializada no atendimento de pessoas em crise emocional aguda, pânico, transtornos de ansiedade e depressão causados por estresse no trabalho, relacionamento amoroso, adoecimento grave e muito outros fatores desencadeantes de sofrimento emocional agudo e crônico. Dr. Lincoln tem 18 anos de experiência no atendimento à crise emocional. Agendamento de consultas pelos fones (41) 30391890 e (41) 996437333. 

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário