fbpx

O tédio nos relacionamentos de longo prazo. Precisa ser assim? Como mudar isso?

Frequentemente em meus atendimentos de mulheres na clínica das relações amorosas recebo queixas de tédio no relacionamento, de falta de emoção, de paixão, de necessidade de se sentir "viva" novamente. Frequentemente o tédio é atribuído à rotina e ao parceiro, descrito como acomodado e sem criatividade ou iniciativa. Devido à frequência dessas queixas vou fazer alguns comentários a respeito.

Em primeiro lugar é preciso lembrar que o relacionamento amoroso funciona como um ser vivo, ou seja, não é estático, está sujeito a mudanças, desafios e amadurecimento.

Em segundo lugar, a paixão, o romance e o romantismo do início do relacionamento darão lugar necessariamente a algo mais tranquilo, menos "fogo".

Em terceiro lugar, o relacionamento muda de "parceria a dois + liberdade" para "família com filhos, obrigações, despesas e falta de tempo". E isso não é necessariamente ruim, mas é bem diferente do início sem sobrecarga.

Em quarto lugar, a ideia de que desejo sexual e disponibilidade para o sexo devem ser sempre algo natural e fácil é uma ilusão que somente aqueles muito jovens têm o direito de alimentar. Estresse e cansaço fazem parte da equação dos relacionamentos de longo prazo, e o desejo sexual necessita de relaxamento e descanso.

Em quinto lugar, com o passar do tempo as pessoas perdem a atitude erótica (que será foco de outro artigo que escreverei) e parecem não perceber isso.

Eu poderia listar muitas coisas mais aqui, mas acho que já foi possível ao leitor perceber que o parceiro pode não ser tão culpado quando pode parecer, e o problema tem sim solução para casais que funcionam, mesmo com tantos fatores estressores do dia a dia. Meu próximo artigo irá abordar justamente como sair desta armadilha do quotidiano.

Texto escrito pelo Dr. Lincoln C. Andrade

Permitida a reprodução e divulgação desde que citada a fonte (autor e site)

*Dr. Lincoln Andrade é medico psiquiatra especializado no tratamento de pessoas em crise emocional, estresse, ansiedade e pânico. Mantém em sua clínica o programa On Love, para a qualidade de vida afetiva e sexual, como consultor de relacionamentos. Atende pessoas em crise emocional de origem amorosa e sexual há 15 anos. É sexólogo formado pelo projeto sexualidade (PROSEX) do hospital das clínicas da USP. Agendamento de consultas pelos fones (41) 30391890 e 996437333.

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário