Ideação suicida e tentativa de suicídio de adolescentes em término de relacionamento amoroso

Em todo mundo as taxas de tentativa de suicídio estão crescendo, e números que variam entre 25 e  40% das tentativas de suicídio  são efetuadas por adolescentes, muitas delas ligadas a relacionamento amoroso, seja por medo da perda ou   do término de relacionamento amoroso, principalmente entre mulheres. Entre os homens é maior o número de internações psiquiátricas devido a tentativa de suicídio.

Em minha experiência de duas décadas na área de relações amorosas e saúde mental, tenho observado que pensamentos de morte devido a problemas no relacionamento amoroso é algo comum em homens e mulheres, mas bem mais comum entre mulheres, porém ideação suicida, e principalmente ideação suicida com planejamento são eventos mais raros.

Dentre a mulheres com ideação suicida por término ou medo de término de relacionamento amoroso, um grupo especialmente preocupante é o de adolescentes. Tanto pela impulsividade quanto pela falta de recursos emocionais para lidar com emoções intensas, ou ainda por problemas ligados a falta de identidade definida, falta de um bom autoconceito e de uma boa autoestima, meninas jovens são um desafio ao profissional de saúde mental na avaliação de risco de suicídio.

Fatores como desespero diante da  possibilidade de perda do amor do parceiro, e desejo de fugir de um sofrimento avaliado como insuportável,  são relacionados pelos adolescentes como causa das tentativas de suicídio. Aspectos psicológicos como pais separados, perda precoce de um dos pais e falta de diálogo com os pais são comuns nesses adolescentes,

Mais grave ainda é a situação quando os adolescentes não têm uma boa autoimagem de si mesmos, não se valorizam, não se sentem amados e  não tem identidade pessoal minimamente consistente. Nesse caso frequentemente  se sentem excluídos de seu grupo de pares,  necessitando da atenção e do amor do namorado para  validação de que são alguém, de que têm valor, de que podem ser amados, de que têm coisas boas em si mesmos.

Trata-se neste último caso de alguém que tem uma condição autopsíquica tênue, frágil, altamente sujeita aos humores do mundo externo, e o término de relacionamento pode ser avaliado com a comprovação definitiva de falta de valor e de que a vida já não vale a pena.

Portanto, como regra, nunca se deve subestimar o risco de suicídio de qualquer pessoa, adulto ou adolescente, que sinaliza com esta possibilidade. Devemos acolher a pessoa, ouví-la, oferecer apoio e, em caso de suspeita de risco maior de suicídio, encaminhá-la imediatamente para atendimento especializado em saúde mental. Agindo assim salvam-se muitas vidas.

Nunca pense que um discurso ou comportamento suicida não passa de tentativa de chamar a atenção das pessoas pois, mesmo que seja esse o caso,  trata-se de alguém sinalizando que precisa de ajuda.

Texto escrito pelo Dr. Lincoln C. Andrade

Permitida a reprodução e divulgação desde que citada a fonte (autor e site)

*Dr. Lincoln C. Andrade é médico psiquiatra com residência médica  pelo HC/RP-USP, especializado no atendimento de pacientes em crises emocionais, estresse elevado, medo e pânico. Tem vinte anos de experiência na área. É também especialista em sexualidade humana pelo projeto sexualidade do hospital das clínicas da faculdade de medicina da USP (HC/USP). Agendamento de consultas pelos fones (41) 30391890 e 996437333.

 "Clínica Dr. Lincoln Andrade, a clínica de tratamento da crise emocional em Curitiba."

*A clínica Dr. Lincoln Andrade não se destina ao atendimento de pacientes muito agitados, agressivos ou intoxicados por álcool ou drogas, que devem ser atendidos em  pronto-atendimento psiquiátrico hospitalar.

 

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário