fbpx

Entenda como o estresse faz você adoecer | Dr. Lincoln Andrade

Todas as pessoas falam frequentemente em estresse (stress no inglês), mas poucas pessoas sabem que o estresse tem 3 diferentes fases e que essas fases compõem o caminho que conduz ao adoecimento.

A primeira fase do estresse chama-se de fase de alerta, e ocorre quando estamos diante de algo novo em nossa vida,  algo que nos obriga a uma adaptação rápida. Pode ser uma mudança de emprego, um problema financeiro ou qualquer outra situação de vida, inclusive uma situação positiva, como, por exemplo, o apaixonamento.

Nesta fase nosso sistema nervoso nos prepara literalmente para enfrentar um desafio físico, uma luta, e eleva rapidamente a adrenalina, um neurotransmissor que ativa todo o organismo. Trata-se de um mecanismo primitivo do sistema nervoso, desenvolvido no passado longínquo da humanidade para o enfrentamento de animais perigosos e conhecido como reação de luta ou fuga. Na fase de alerta ficamos com dificuldade para dormir, redução de apetite, inquietação, hipervigilantes e ativos, entre muitas outras alterações físicas e psicológicas. O objetivo do organismo nesta fase é enfrentar o desafio e retornar rapidamente ao estado de equilíbrio anterior.

A segunda fase do estresse ocorre quando o fator estressor persiste de modo prolongado, como ocorre em situações de desemprego, processo difícil de divórcio, doença grave e mesmo como ocorre na época em que escrevo este artigo, com 2 meses de isolamento social devido a pandemia do coronavírus. Esta fase se denomina fase de resistência, e se caracteriza pela ação em nosso organismo do cortisol, um potente esteróide regulador de muitas funções orgânicas, entre elas o sistema imune.

O cortisol é bastante útil a curto prazo para o organismo estressado, pois ajuda nas ações de adaptação para o  enfrentamento do estresse prolongado, porém  bastante prejudicial no longo prazo, uma vez que consome reservas de nutrientes e acaba por inibir a função imune, entre muitos outros prejuízos ao organismo em situações de estresse prolongado.

Nesta fase surgem diversos sinais de desiquilíbrio orgânico, que podem desaparecer e surgir novamente, de modo intermitente, como preocupação constante, angústia, irritabilidade, impaciência, tensão muscular, torcicolos, cansaço, alergias, alterações digestivas, alterações menstruais, queda de cabelo, insônia, dificuldade de concentração, busca de consumo de carboidratos, abuso de álcool e tabaco, entre outros. Nesta fase o organismo tenta resistir aos efeitos do estresse prolongado usando todos os recursos disponíveis.

A terceira fase do estresse é conhecida como fase de exaustão, e nela o organismo está perdendo a batalha contra o agente estressor. Esta fase marca o início do processo de adoecimento físico e mental. Nela surgem sintomas como fadiga extrema, sensação de exaustão, de estar acabado (o chamado burnout do trabalho), indisposição absoluta, perda do desejo sexual, tristeza, desânimo importante. A sensação é de estar doente.

Caso o fator estressor permaneça agindo sobre o individuo por mais tempo, surge finalmente o adoecimento franco, que pode ser físico, mental ou ambos. Nesta fase costuma surgir a depressão, as crises de ansiedade e pânico, a exaustão completa, o surgimento ou agravamento do diabetes, hipertensão, risco aumentado de infarto agudo ou AVC, além de doenças autoimunes.

Conhecer as fases do estresse é importante para que a possamos perceber em qual das 3 fases nos encontramos, podendo assim procurar auxílio médico antes que algum dano maior venha a acontecer com sua saúde física e mental.

Profissionais de saúde mental são os mais preparados para ajudar seus pacientes no caminho que conduz novamente ao equilíbrio e à saúde, pois conhecem profundamente os mecanismos envolvidos na reação psicológica e orgânica ao estresse.

Texto de autoria do Dr. Lincoln C. Andrade. Permitida a livre divulgação e reprodução. Pedimos o favor de citar a fonte (autor e site).

Dr. Lincoln C. Andrade é médico psiquiatra, com residência médica pelo hospital das clínicas da USP, especializado no atendimento de pessoas em crise emocional, estresse, transtornos de ansiedade e pânico. Tem vinte anos de experiência no atendimento de pessoas em crise emocional de qualquer origem. Criou e mantém em sua clínica o programa CALMA, especializado no tratamento de ansiedade e pânico. Agendamento de consultas pelos fones (41) 30391890 e 996437333.

 ** Para usuários do sus e clínicas populares, que estão em busca de atendimento de qualidade  em saúde mental com baixo custo, a clínica Dr. Lincoln Andrade oferece o programa "Saúde mental para todos". Para mais informações entre em contato pelos fones (41) 30391890 e 996437333 (whatsapp).

"Clínica Dr. Lincoln Andrade, a clínica de referência no tratamento do estresse elevado,  ansiedade, pânico e crises nervosas em Curitiba".

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário