A relação entre o atentado à modelo Ana Hickmann e o amor patológico (Erotomania)

Saiu em toda imprensa nacional: no dia 21 de maio de 2016 a famosa  modelo de passarela e apresentadora da rede Record Ana Hickmann teve seu quarto de hotel em Belo Horizonte (MG) invadido por um desconhecido que, armado, tomou a cunhada e o irmão da modelo de reféns, proferiu diversas ofensas contra a modelo e disparou sua arma. Os disparos atingiram a cunhada da modelo duas vezes e , não fosse a pronta intervenção de seu irmão, que tomou a arma e matou o invasor, Ana Hickmann poderia ter sido assassinada.

Além da violência envolvida no ocorrido, chamou a atenção o fato do autor dos disparos falar com a modelo como se fossem conhecidos e tivessem algum envolvimento romântico, cobrando fidelidade e demonstrando muito raiva, conforme foi noticiado pela imprensa.

A situação, estranha para todas as pessoas que souberam do atentado, certamente não causou surpresas ao médicos psiquiatras, visto que o comportamento do rapaz que invadiu o quarto de Ana Hikhmann lembra muito um quadro psiquiátrico conhecido como Erotomania ou síndrome de Clerambault, uma forma psicótica de amor patológico, em que uma pessoa mentalmente doente tem delírios de que alguém, geralmente famoso ou de nível social mais elevado, está por ela interessada amorosamente.

Em consequência dos delírios e alucinações, o doente mental realmente acredita no interesse amoroso da outra pessoa, pode ter alucinações em que conversa com a pessoa famosa, troca juras de amor e confidências, e muitas vezes busca aproximação desta pessoa na vida real.

E é exatamente nesta busca de aproximação que reside o perigo para a pessoa que é foco dos sintomas psicóticos do doente mental. Ao ser rejeitado, excluído de redes sociais, o doente mental pode se sentir traído, ficar indignado, furioso, e decidir se vingar. Muitas vezes mesmo sem ter qualquer contato com a pessoa que é objeto de seus delírios o doente mental pode apresentar delírios de infidelidade e buscar se vingar de alguma maneira.

No momento em que escrevi este texto não havia ainda informações detalhadas a respeito do rapaz que invadiu o quarto de hotel de Ana Hickmann, porém o pouco que saiu na imprensa sugere que se trata de mais um caso de Erotomania. Quando a situação estiver esclarecida poderemos saber se minha hipótese diagnóstica está correta.

Pessoas que sofrem de Erotomania devem ser tratados por psiquiatras especializados no atendimento de pacientes psicóticos, e frequentemente exigem internação psiquiátrica no início do tratamento.

Texto escrito pelo Dr. Lincoln Cesar Andrade

Permitida a reprodução e divulgação desde que citada a fonte (autor e site)

*Dr. Lincoln Andrade é medico psiquiatra especializado no tratamento de pessoas em crise emocional, estresse, ansiedade e pânico. Atende pessoas em crise emocional de origem amorosa e sexual há 15 anos. É sexólogo formado pelo projeto sexualidade (PROSEX) do hospital das clínicas da USP. Agendamento de consultas pelos fones (41) 30391890 e 996437333.

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário