Risco de morte e crise nervosa devido à infidelidade conjugal

Já de início quero deixar claro que com este artigo não tenho qualquer intenção moralista, mas sim de fazer um alerta importante aos leitores.

Em minha prática de tantos anos no atendimento de pessoas em crises emocionais por problemas afetivo-sexuais, uma situação que já atendi muitas vezes é aquela em que o(a) paciente traiu o parceiro e as consequências foram muito além da que costuma ocorrer por ocasião da descoberta da infidelidade.

Vou citar duas situações com consequências extremas para exemplificar. A primeira é aquela em que fui procurado por um paciente em situação de crise nervosa por que o cônjuge de sua amante descobriu a traição e resolveu se vingar. Nesta história já ouvi narrativas sobre agressões físicas e  tentativas de homicídio por arma de fogo contra o paciente que me procurou e, mais grave ainda, as vezes contra a família do paciente! Algumas vezes a pessoa em busca de vingança vai até o local de trabalho do (a) amante do cônjuge e acaba por causar a demissão do mesmo tal o "barraco" que produz. Tal situação provoca enorme desorganização na família da pessoa que foi infiel e produz danos frequentemente irreversíveis para o futuro conjugal.

Outra situação não tão comum, mas também com características muito dramáticas, e que já atendi várias vezes, é a da pessoa que foi infiel e descobre que contraiu o vírus HIV. Quando isso ocorre a pessoa que foi infiel sente-se culpada ao extremo, com a sensação de que colocou a vida em risco por motivo fútil, por não ter se cuidado adequadamente; pensa na família, na possibilidade da esposa (ou marido) ter sido também infectado, no futuro de sua saúde e no futuro de seus filhos em caso de adoecimento. A vida da pessoa se transforma em um drama da noite para o dia.

Essas duas situações, cujas consequências foram descritas muito resumidamente acima, são verdadeiros pesadelos na vida dos envolvidos. A infidelidade pode ter muitas causas, muitas mesmo, mas tem enorme potencial de causar danos. E é melhor pensar bem nisso e procurar usar a razão antes de se envolver nesse tipo de situação amorosa, pois o desejo e a paixão nem sempre são bons conselheiros .

Para quem se sente traído e pensa em vingança, fica um importante conselho: a vingança é um sentimento motivado pela raiva, e a raiva tende a ser a emoção de mais difícil controle, conduz a comportamentos muitos impulsivos, que trazem consequências as vezes catastróficas. Não esqueça que as consequências da vingança vão atingir, direta ou indiretamente, a todos os envolvidos, inclusive filhos e familiares.  Caso você se sinta nesta condição procure ajuda com amigos e familiares. Não sendo suficiente, procure ajuda profissional. Jamais considere de fato a violência como meio de resolução de conflitos, pois ela só produz maiores danos.

Para quem contraiu o HIV na situação acima descrita é importante lembrar que o tratamento atualmente é muito eficaz, e a ideia de sentença de morte ficou no passado. Quanto à culpa, pode ser  que precise de ajuda profissional caso esta se torne um pensamento obsessivo, persistente.

Texto escrito pelo Dr. Lincoln Andrade

Permitida a reprodução e divulgação desde que citada a fonte (autor e site)

*Dr. Lincoln oferece um seminário sobre os fundamentos que conduzem ao sucesso nos relacionamentos amorosos e na vida sexual. Clique em Cursos e Palestras sobre Amor e Sexualidade neste site.

 

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário